VOCÊ CONSEGUE ESCREVER UMA POESIA SOBRE A SUA REENCARNAÇÃO?


Desafio do mês: Você consegue escrever uma poesia sobre sua reencarnação?

Qual a sua sensibilidade para avaliar, analisar e escrever sobre a essência da sua encarnação? Quais fatos da sua vida mais chamam sua atenção? Você consegue identificar quais os tipos das suas limitações? Você escolheu o seu corpo para encarnar nele? Você gosta do seu corpo?

Estamos vivendo uma época onde a embalagem é importante. A exigência do belo e do perfeito muitas vezes nos tem escravizado, embora o belo e o perfeito façam parte das “coisas” de Deus, mas o que tem acontecido é uma escravização da beleza externa e uma ambição ao perfeito efêmero, que as vezes nos deixa em processo de depressão e de impotência por não possuir ou ser da maneira que o padrão da moda exige.

Allan Kardec fez uma pergunta incrível a respeito do corpo físico na questão do Livro dos Espíritos de número 335 – O Espírito tem o direito de escolher o corpo ou somente o gênero de vida que lhe deve servir de prova? E a resposta foi: “Ele pode escolher também o corpo, porque as imperfeições do corpo são provas que o ajudam no seu adiantamento, se ele vencer os obstáculos encontrados; mas a escolha nem sempre depende dele, que pode pedi-la.”

Então podemos refletir: Eu pedi o meu corpo? Eu respeito o meu corpo? Eu percebo o meu corpo como uma prova para a minha evolução? Eu agradeço pelo meu corpo e minha vida?

Na 17 Bienal Internacional do Livro, no stand da parceria da Editora Léon Denis, Clube de Arte (Tv Nova Luz) e Rádio Rio de Janeiro, foi lançado um livreto de uma moça que reside na Ação Cristã Vicente Moretti, chamada Luciene Lima e o título do livro é bastante poético: O Aroma de Uma Vida.

Além da Luciene ser deficiente física, ela não consegue falar, mas, conforme nos ensina o mentor Léon Denis, ela optou por desenvolver e usar as potências da alma, que ele tão bem nos ensina no livro O Problema do Ser e do Destino, pois vimos na prática alguém que tem o corpo físico tão cheio de limitações, mas que o Espírito que o habita tão bem soube explorar e viver suas potências da alma. E como resultado, tivemos um livreto onde Luciene relata alguns fatos da sua vida acompanhados de poesias repletas de sensibilidade.

Um trecho da sua escrita, que na minha opinião é um remédio para nossa alma, é a seguinte: “...pensava: como a vida é dura comigo! Entretanto, houve um dia diferente, o dia em que refleti. Nessa reflexão, vi a minha vida passar como se fosse um filme. E nessa película, eu era a artista principal...Ao final dessa reflexão, concluí que...eu tinha muitas possibilidades diante da vida, pois, pela misericórdia do Pai, eu podia pensar. Assim, era chegada a hora de parar de choramingar, o momento exigia que eu passasse a agir, a fim de tornar a minha vida mais feliz....Por tudo, agradeço a Jesus, até pela cadeira de rodas, que educa o meu Espírito.”

Inspirados nos poemas da Luciene, e seguindo os ensinamentos de Léon Denis, vamos fazer, cada um de nós, um projeto de vida: usar a Vontade para evoluir. Vivenciar os Pensamentos positivos. Usar o Livre Arbítrio para decidir trilhar o caminho do amor. Despertar a Consciência sobre nós, filhos de Deus. Compreender a Dor. Prestar atenção ao Sofrimento. Viver o Amor.

Artigo publicado na Revista dos Estudos Espíritas


  DESTAQUE  
Posts em breve
Fique ligado...
  POSTS RECENTES  
  ARQUIVO  
  PROCURAR POR TAGS